Desenvolvendo tranquilidade na hora de dormir

May 1, 2020

Série "Pílulas de Atenção Plena"

 

Aprenda uma dica simples para ter maior bem-estar e tranquilidade na hora de dormir.

 

 

 

Você já parou para observar o que você “leva para a cama” quando se prepara para dormir? Brincadeiras à parte, o sono é, sem dúvida, um aspecto fundamental da vida de todo ser humano. É mais do que claro para todos nós a importância que uma noite bem dormida tem para nosso equilíbrio e bem-estar.

 

Uma das questões que as pessoas trazem bastante para os grupos que atendo é justamente a dificuldade de “desligar o botão dos pensamentos” na hora de dormir. Parece que na hora em que deitamos, a mente acelera bastante e intermináveis pensamentos nos invadem. E aí demoramos a pegar no sono, muitas vezes temos noites agitadas, interferindo na qualidade do sono.

 

E claro, existem uma série de dicas sobre higiene do sono, e artigos científicos que trazem evidências sobre sono e impacto para saúde. Se quiser saber um pouco mais sobre isso dá uma olhadinha nesse site aqui, são publicações do Instituto do Sono, centro de referência mundial na área: https://institutodosono.com/artigos-noticias/sleepcast/ .

 

Mas meu objetivo com essa postagem é mais simples: convidar para refletir sobre como se prepara para dormir, e dar uma dica mais simples ainda que tem sido bastante útil para esses momentos.

 

Uma das coisas que gosto bastante com o desenvolvimento de mindfulness é a consciência que surge de como estamos, sejam nossos pensamentos, nossas emoções e sensações, associado com o treino de “onde escolho colocar minha atenção agora”. Então ao desenvolver mindfulness não é que você deixa de pensar, por exemplo, mas ao notar essa imensidão de pensamentos pode simplesmente escolher não se prender neles, não se deixar levar por eles, e sustentar sua atenção em algo que também está ali no seu momento presente como, por exemplo, as sensações do corpo.

 

Isso mesmo! Em geral nos prendemos muito nos pensamentos, e se eles estão agitados, nessa enxurrada, ficamos agitados também. Se eles estão calmos, então estamos calmos também. Quão vulnerável ficamos aos diferentes estados da mente! E na hora de dormir não é diferente. Mas praticar mindfulness é uma grande mudança de paradigma, em que aprendemos a acolher com gentileza e aceitação exatamente como estamos, dando uma clareza sobre nossos processos, e escolher como melhor podemos cuidar de nós mesmos a partir disso. E às vezes esse cuidado envolve sustentar o foco da atenção em algo mais claro e concreto como as sensações do corpo, e não mais abstrato como os pensamentos.

 

Pensando nisso, ao dormir, que tal experimentar curtir a cama? E todas as sensações que provoca? Sabe, curtir aquele quentinho, o contato do corpo com o colchão, com as superfícies, sentir a cabeça repousando com segurança no travesseiro, respirar com essas sensações... Aliás, são tão raros esses momentos! A mente tende a fugir, querer voltar para onde está acostumada, perdida em pensamentos, mas você tem autonomia e escolha, pode trazer de volta e simplesmente se abrir com curiosidade para essas sensações, tantas vezes quantas forem necessárias.

 

Sabe, isso me ajudou muito nos momentos em que me percebia muito agitada, quando minha vida estava bastante tumultuada! É normal termos altos e baixos na vida que interferem na nossa qualidade de sono! Nem precisa ser algo ruim, às vezes algo legal que esperamos muito e que está prestes a acontecer também nos deixa agitados. E não necessariamente na hora de dormir, mas às vezes até durante a madrugada, quando acordamos de repente e parece que os pensamentos surgem como um trem em alta velocidade, um vagão puxando o outro, um pensamento trazendo o outro! Um desses dias em que acordei pensei: “puxa, eu gosto tanto de curtir esse conforto da cama e tenho tão poucas oportunidades disso com o excesso de atividades no dia a dia! Esta é uma boa oportunidade!” E assim mudei a minha relação com esses momentos agitados. Curiosamente, algumas vezes precisei até “acabar de acordar” mesmo, realmente me despertar, para fazer esse exercício. E por incrível que pareça, voltava a dormir sem nem perceber.

 

Importante dizer que ao fazer isso não estamos buscando necessariamente dormir, alcançar um estado específico da mente, ou qualquer coisa do gênero. Buscamos experimentar um novo estado de ser ao dormir! Requer treino, requer escolha, requer uma intenção, sem dúvida. Mas ao fazer isso, muitas pessoas relatam que 1) param de sofrer quando a mente agitada impede de dormir e passam a experimentar maior bem-estar (e por que não prazer?) nesses momentos; e / ou 2) permanecem menos tempo com a mente agitada e voltam a dormir.

 

E se quiser ir além, experimente começar esse exercício antes mesmo de dormir, já trazendo a intenção de aos poucos estar mais consciente de suas sensações no corpo e com atenção plena enquanto se prepara para dormir (seja no banho, colocando pijama, escovando os dentes....).

 

Que tal experimentar por uma semana? E aí me conta o que aconteceu, ou seus desafios para fazer isso acontecer!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Como reconhecer a tranquilidade quando ela está presente

June 26, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us