#11 - Mindfulness e o Surfe

April 25, 2018

O surfe é uma analogia muito boa que podemos fazer para entender o que é estar mindful, ou seja, em estado de atenção plena. Às vezes, nadar ou brincar na água do mar pode ser ótimo! A água está tranquila, com temperatura agradável. E as vezes não, o mar está muito agitado, com fortes correntezas, a água gelada, podendo até oferecer perigo. Mas se estivermos em uma prancha, conseguimos ficar mais secos, seguros e algumas vezes até mais aquecidos.

 

E se você é um bom surfista e pega uma onda, você está muito conectado com o mar, tem intimidade com a água, seus movimentos provocados pela correnteza, está plenamente ali naquele momento. E você não está "dentro" da água, você está na superfície, "fora da água". E ainda assim está ali, muito conectado, íntimo do mar, em equilíbrio com o mar.

 

Mas se não estiver prestando atenção você provavelmente vai cair.

 

Com mindfulness é da mesma forma. Nós surfamos em nossas experiências, e isso se torna particularmente interessante. Temos as mais diferente reações ao que está acontecendo em nossa volta,  muitas vezes fortes reações especialmente quando o que está acontecendo nos é desafiador. Temos muitos pensamentos, emoções surgem, e normalmente nós também "caímos na água". Ficamos envolvidos, imersos nas emoções e pensamentos que temos, tentando "nadar" neles e com eles.

 

E, estando dentro da água, quando a onda quebra, ela nos encharca. Às vezes, quando estamos mergulhados em nossos problemas a onda quebra em cima da gente, ficamos submersos esperando que a onda passe e leva um tempo até que possamos voltar para a superfície e respirar. 

 

Com mindfulness estaríamos surfando nisso, na experiência que está acontecendo. Não estamos evitando, tem uma conexão e intimidade, bastante sintonia com o que está acontecendo. Mas não estamos "dentro" da água. Nossa consciência, interesse e poder de observação curiosa são fortes o suficiente para que não estejamos dentro da experiência e sim a vendo com clareza e espírito de presença, realmente permanecendo com as emoções e pensamentos, conscientes, vendo cada emoção que surge, vendo a mente girando nos pensamentos, atento para o fato que isso está acontecendo, seja lá o que for, raiva, desespero,  qualquer pensamento que surge e fica pulando dentro da nossa cabeça.

 

Ver com clareza, e então surfar nisso. Não se pode impedir, não se pode parar, não se pode afastar, está ali acontecendo. E então você surfa na onda. E pode ser até doce, até maravilhoso, quando você consegue tirar você mesmo de dentro da água. Está tudo ali mas você está surfando nisso.

 

E uma das coisas mais sabias sobre essa analogia é que é muito raro que um surfista não caia de novo na água em algum momento. Da mesma forma, cedo ou tarde acabamos "caindo na água" novamente, isso é normal. E o ponto é, surfistas não ficam reclamando o tempo todo por terem caído na água ou deixam de surfar por conta disso, entendem que faz parte do jogo, eles caem e então eles sobem de novo na prancha e voltam a surfar. E nós iremos cair também, nesse grande mar chamado vida, então seja um bom surfista: suba de novo na "prancha mindful", reme para ter impulso suficiente, e então pegue a onda. Dessa forma você verá que é possível até se divertir!

 

 

*Referência: Gil Fronsdal - Dharma Talks - 06-07-2016

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Como reconhecer a tranquilidade quando ela está presente

June 26, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Social Icon

© 2017 por Comunicação Plena | Brasil